O que é funil de conteúdo e o que postar em cada etapa

O que é funil de conteúdo e o que postar em cada etapa

  • Lucas Ferraz
  • Dezembro de 2021

O que é funil de conteúdo e o que postar em cada etapa

O funil de conteúdo é representado por três etapas de entrega de conteúdos para direcionar o usuário à compra.


O que é funil de conteúdo e o que postar em cada etapa

Primeiramente, o mercado nunca esteve tão competitivo, porém, a era digital permite que pequenas e grandes empresas lutem com as mesmas ferramentas de marketing.

Desta forma, ganha quem souber usá-las da melhor forma possível.

Nesse sentido, o marketing de conteúdo vem ocupando um importante espaço, principalmente no que diz respeito à conquista e fidelização dos clientes.

Mas, para isso, é preciso saber usar as estratégias de atração, conversão e retenção desses clientes.

Contudo, vale ressaltar que o conteúdo só alcançará o seu real potencial se for trabalhado de uma forma que possa contribuir para facilitar a jornada de compra do cliente dentro do funil de vendas.

Por isso, esse tipo de conteúdo é chamado de funil de conteúdo, já que busca auxiliar na jornada de compra dos internautas, da hora que conhecem a marca até o momento em que se tornam clientes.

Ou seja, através de informações relevantes e impactantes fica bem mais fácil atrair a atenção dos usuários na Internet, transformá-los em potenciais consumidores e incentivá-los a concluírem uma compra.

O que é o funil de conteúdo?

Primeiramente, temos que entender que funil de vendas nada mais é que uma forma de representação de toda a trajetória de um usuário, do interesse à compra.  

O funil serve para retratar bem cada etapa, sendo a atração a base mais larga e a venda a mais curta, já que o interesse será sempre maior do que a conversão.

E é aí que um conteúdo bem planejado pode ajudar a aumentar a conversão.

Vale considerar, no entanto, o comportamento do consumidor, que é diferente em cada etapa do funil de vendas, já que busca informações diferentes e mais específicas.

Por isso, é tão importante pensar no conteúdo de forma a atender cada uma destas etapas do funil.

Quais os benefícios do funil de conteúdo?

Entenda os benefícios em usar o funil de conteúdo em suas estratégias.

  • Aumento no tráfego orgânico do seu site;
  • Proporciona mais robustez ao processo de vendas;
  • Aumento no engajamento e geração de leads;
  • Aumento considerável nas vendas;
  • Crescimento da marca perante o público.

A importância de ter um blog e praticar o funil de conteúdo

Em suma, não adianta pensar em conteúdos que possam ajudar em cada etapa de seu funil de vendas se sua empresa não possuir uma estrutura digital para poder trabalhar o marketing de conteúdo.

Por isso, antes de qualquer coisa, vale investir em um blog que, sem dúvida, é uma ótima forma de atrair os usuários para sua marca, até mesmo, para conseguir chamar a atenção para os seus produtos ou serviços, guiando os usuários por cada etapa do funil de vendas, oferecendo diferentes tipos de conteúdo.

Para isso, é preciso saber divulgar esses conteúdos nas principais redes sociais e plataformas online, justamente, para que possam chegar aos usuários.

Por fim, o próximo passo é saber quais as principais formas de conteúdo para cada etapa do funil de vendas.

Etapas do funil de conteúdo

Entenda abaixo, as três etapas do funil de conteúdo.

Topo de funil: despertar interesse

Logo na entrada, o topo do funil, na parte mais larga, temos o primeiro estágio do funil de vendas, por isso, o conteúdo deve ser de atração, já que esse é o primeiro contato e relacionamento entre usuário-marca.

Geralmente, nessa etapa, estão os internautas que chegaram ao site da sua empresa através de resultados de pesquisas no Google ou postagens em redes sociais.

É preciso ter em mente que o usuário, nesta primeira fase, não está interessado em adquirir um produto específico para resolver um problema, na verdade, ele pode nem reconhecer que tem um problema.

Topo de funil na prática

Vamos usar um exemplo de alguém que tenha uma imobiliária e queira produzir um conteúdo para atrair novos leitores para o seu funil de vendas.

É preciso considerar que essas pessoas que se interessarão pelos seus artigos de atração ainda não consideram a compra de uma casa ou apartamento, mas sabem das dificuldades e vontades do dia-a-dia.

Ou seja, morar muito longe do trabalho, gastar muito com aluguel, sonhar com uma casa própria, etc.

Em outras palavras, a pessoa com interesse em potencial sente apenas alguns dos sintomas de um problema, e você pode, através de um bom conteúdo, dar nome a este problema e oferecer uma possível solução.

Por isso, é essencial investir em bons conteúdos, por exemplo, poderia ser um artigo de blog sobre “Casa própria vs. aluguel: quais são os prós e os contras?” ou “Infográfico: os benefícios reais de ter uma casa própria”.

Conteúdo para o topo de funil

Veja abaixo alguns tipos de conteúdos para o topo do funil.

Blog posts

Esse é o tipo de conteúdo mais comum do topo do funil e super fáceis de criar, sendo, geralmente, mais curtos (cerca de 500 palavras) e em grande quantidade, justamente, para tirar o máximo de dúvidas pesquisadas nos motores de buscas.

Dentre as opções mais populares estão:

  1. Guias: são posts mais completos e explicativos;
  2. Dicas: o leque é amplo e permite dicas de hotéis, viagens, produtos específicos, enfim... por isso, é um tipo de conteúdo muito usado, e se for bem trabalhado, pode gerar grande engajamento;
  3. Listas: também um tipo de conteúdo muito usado em blogs, que costuma funcionar muito bem e gerar grande engajamento com o público. Pode ser qualquer tipo de lista, desde lista de livros de empresas específicas, como Amazon, por exemplo, ou lista de filmes da Netflix;
  4. Tutoriais: é outro tipo de post que gera grande engajamento e que, certamente, ajuda demais o leitor, são aqueles posts de como fazer uma determinada coisa;
  5. Problema/solução: quando você conhece as dificuldades do seu público e levanta esse problema para ele com uma solução, você gera uma grande conexão com ele.

Webinars, videoconferência e lives

Em suma, os webinars são transmissões ao vivo onde um especialista comenta sobre um determinado assunto e pode, na verdade, ser usado em qualquer etapa do funil.

Mas, no caso de usar esse tipo de conteúdo no topo, é preciso que seja para responder questões mais básicas, pois o usuário ainda não domina o assunto.

Vídeos

Ninguém tem mais dúvida de que esse é o formato do momento, já que todas as plataformas estão investindo, cada vez mais, no audiovisual, desde YouTube, Instagram, Vimeo e agora, o TiKtok.

Todas essas plataformas são poderosas ferramentas para atrair visitantes.

Mas, é preciso, no entanto, que esses vídeos sejam curtos, objetivos e respondam as dúvidas mais básicas para atrair os usuários.

Lembrando que nesse estágio do funil, o usuário ainda não possui muito conhecimento sobre o seu produto, por isso, o conteúdo precisa ser explicativo e de qualidade.

Meio do funil: intenção

Nessa etapa do funil, o usuário já não é mais apenas um visitante recém-chegado ao seu blog, mas alguém que sabe que possui um problema e gostaria de encontrar soluções e saber que você pode resolver.

Basicamente, nessa etapa o “desconhecido” se torna um lead, se aproximando da venda.

Ou seja, o potencial consumidor já sabe do seu problema e procura por opções para solucioná-lo.

Logo, nessa hora esse cliente em potencial já está disposto a informar seus dados básicos (nome, e-mail, telefone, etc.) desde que possa suprir sua necessidade.

Meio do funil na prática

Imagine que você tenha um e-commerce de instrumentos musicais e você deseja criar um conteúdo que vá apontar para a solução oferecida por seu produto.

Um e-book chamado “Guia completo de violão para iniciantes” ou um webinar “Como aprender a tocar violão do zero” podem atingir o consumidor interessado que, quando oferecer suas informações em troca destes materiais, poderá se valer de seus dados para a próxima etapa do funil de vendas: a da avaliação e compra.

Conteúdo para o meio de funil

Visto que no meio do funil o usuário já conhece o produto, o conteúdo deve trazer mais profundidade quando comparado com os conteúdos do topo.

Ou seja, é preciso se aprofundar mais sobre um tema.

Blog posts

Mais uma vez eles se mostram como uma ótima opção, mas, dessa vez, já que o objetivo do meio do funil é converter, é preciso investir em conteúdos mais extensos e elaborados.

Entram nessa etapa, artigos mais completos, acima de mil palavras, com informações mais avançadas e aprofundadas.

E-books

Eles não poderiam ficar de fora, são muito eficazes, apesar de mais trabalhosos, eles permitem o recolhimento de mais informações.

Ou seja, dados do usuário, desde geográficos, demográficos, comportamentais etc.

Sem falar que quem baixa um e-book é porque tem interesse no seu conteúdo.

Podcasts

Em alta no momento, funcionam como programas de rádio, podendo ter uma duração maior.

Esse formato é ótimo, pois não exige total concentração do usuário, ou seja, pode ser consumido ao mesmo tempo em que ele faz outras atividades, como dirigir, caminhar, etc.

Apresentações de slides

Muito usadas no meio do funil, as apresentações de slides podem trazer gráficos, imagens e diversos outros recursos inseridos.

Infográficos

Embora um infográfico exija conhecimento técnico para ser feito, nele é possível agrupar texto e imagem para facilitar a compreensão das informações.

Fundo do funil: conversão

Por fim, é nessa etapa do funil que seu lead está prestes a efetivar a compra.

Ou seja, considerando, realmente, em adquirir seu produto ou serviço como uma solução para o seu problema.

E é aí que deverá entrar um conteúdo que possa convencê-lo.

Fundo do funil na prática

Aproveitando o exemplo acima, a imobiliária pode produzir uma campanha de e-mail marketing com os endereços coletados.

Assim, pode informar sobre os principais imóveis à venda e as necessidades que atendem.

Ou seja, é nessa hora que o departamento de vendas também deve entrar em campo.

Em outras palavras, se um potencial consumidor está próximo da conversão mas ainda tem dúvidas, é a hora de um contato mais pessoal.

Esse contato pode ser por e-mail, WhatsApp ou ligação para tirar as possíveis dúvidas e motivá-lo a efetuar a tão esperada compra.

Conteúdo para o fundo de funil

Como nessa etapa os usuários já estão quase fechando um negócio, o que eles querem é saber mais sobre sua marca.

Por isso, vale apostar em conteúdos mais específicos, desde cases, depoimentos, reviews, etc. 

Cases de clientes

Vele mostrar ao usuário algumas situações de clientes que tiveram sucesso com o que você oferece.

Para isso, pode-se valer de qualquer formato, provando que seu produto ou serviço poderá ajudá-lo.

Depoimentos

Como as pessoas estão a um passo da compra, vale apelar para testemunhos de compradores que adquiriram seus produtos e tiveram sucesso.

O que fazer após o funil de vendas?

Pronto, agora que conseguir, finalmente, efetivar a compra, já conseguiu cumprir seu objetivo, então, trabalho finalizado com sucesso, certo? Errado.

Se é mais fácil manter um cliente do que conquistar novos, é preciso arregaçar as mangas para encantar o cliente e torná-lo um consumidor frequente.

Por isso, é essencial, mesmo após todas as etapas do funil de vendas serem cumpridas, continuar a produzir conteúdo para usuários que também já compraram.

E, nessa hora, além dos já citados em todas as etapas acima, entram conteúdos como: ofertas especiais, vídeos explicativos, tutoriais avançados, etc.

Vale lembrar que todos os formatos podem ser usados em qualquer etapa do funil de vendas.

O importante é saber usar o funil de vendas como um aliado da sua empresa, entregando conteúdos que atendam às necessidades da sua persona.

Conclusão

Em suma, o funil de conteúdo é um recurso essencial dentro das estratégias de marketing digital.

Além disso, você pode fazer testes AB para otimizar o seu funil.

Neste caso, use minha calculadora de teste AB para direcionar os seus resultados.

  • Compartilhe
Lucas Ferraz

Lucas Ferraz

Especialista em SEO, aumento de tráfego e geração leads.
Mais de 310 campanhas no portfólio.
Certificado pela Blue Array Academy e pela SEMRush.

Outros artigos